A

ABUNDÂNCIA RELATIVA: É a quantidade em percentual de espécie, substância que se quer calcular // São as porcentagens em massa dos isótopos dos elementos químicos.

ACETILENO: Também denominado ETINO (C2H2). Gás facilmente inflamável, usado em solda oxi-acetilênica.

ACERTO DE COEFICIENTES: Método de tentativas de balanceamento onde o número de átomos dos reagentes deve ser igual ao número de átomos dos produtos. Acertar o coeficiente significa acertar o número estequiométrico das equações químicas. Consiste apenas em contar o número de átomos dos reagentes e dos produtos.

ACTINÍDEOS: Elementos de transição interna, metais e seus números atômicos vão de 89 a 103.

AÇO: Liga metálica entre ferro e carbono. Alto poder de resistência à tração.

AÇO INOX: Liga metálica entre ferro, carbono, cromo e níquel. Esta liga tem a propriedade de ser inoxidável, não enferrujar.

ACETONA: Nome oficial propanona. É um líquido incolor, muito volátil, menos denso que a água e solúvel em água e álcool.

ÁCIDO: De acordo com Arrhenius é toda substância que em água produz o cátion H+. Segundo Bronsted-Lowry é a espécie que doa um próton. Para Lewis, ácido é uma espécie que recebe um par de elétrons.

ÁCIDO BORICO (H3BO3): É um sólido branco ou incolor, insolúvel em água e etanol. Na natureza, é encontrado no vapor condensado na saída dos vulcões. Comercialmente é produzido através do tratamento de minerais de borato.

ACIDO CARBÔNICO (H2CO3): Forma-se a partir da reação de água com dióxido de carbono. Dá origem aos sais carbonatos e hidrogenocarbonatos. É um ácido fraco. Encontrado nas cervejas, refrigerantes e água tônica.

ÁCIDO CIANÍDRICO (HCN): É um gás ou líquido incolor com cheiro característico e amêndoas amargas. É venenoso.

ÁCIDO CLORIDRICO (HCl): É um dos componentes do suco gástrico do estômago. O ácido clorídrico puro é um gás muito corrosivo e tóxico e em solução aquosa é sufocante e corrosivo. Usado na limpeza de pisos e paredes de pedra ou azulejo. O ácido muriático é o ácido clorídrico impuro.

ÁCIDO FLUORIDRICO (HF): É utilizado para a produção de alumínio, corrosão de vidros (em automóveis), decoração em objetos de vidro. É altamente corrosivo para a pele.

ÁCIDO FOSFÓRICO (H3PO4): É um sólido branco, muito solúvel em água e solúvel em etanol. Usado como fertilizante, aditivo alimentar, em indústrias de açúcares e detergentes.

ÁCIDO MURIÁTICO: É o ácido clorídrico (HCl).

ÁCIDO NÍTRICO (HNO3): Ácido tóxico e corrosivo. Utilizado na produção de fertilizantes e de compostos orgânicos.

ÁCIDO SULFÍDRICO (H2S): É um gás com odor de ovo podre. É solúvel em água e etanol. É importante nas análises qualitativas tradicionais, onde se precipita metais com sulfetos insolúveis.

ÁCIDO SULFÚRICO (H2SO4): Produto químico mais utilizado na indústria, por isso o consumo de ácido sulfúrico mede o desenvolvimento industrial de um país. É corrosivo e muito solúvel em água. É usado em baterias de automóveis, na produção de fertilizantes, compostos orgânicos, na limpeza de metais e ligas metálicas (aço).

ÁCIDO SULFÚRICO FUMEGANTE: É formado por trióxido de enxofre dissolvido em ácido sulfúrico 98%. É chamado de oleum. Forma o ácido pirossulfúrico e uma pequena quantidade de ácido trissulfúrico.

ACIDIFICAR: O mesmo que acidular. Tornar ácido. Adicionar composto ácido em uma solução, diminuindo o pH para valores inferiores a sete.

ÁCIDO LÁCTICO: Ao substituir um hidrogênio por um grupo hidroxila do carbono secundário do ácido propanoico, formamos o ácido láctico; é produzido em seus músculos quando você faz exercício físico. Este ácido está também presente no leite azedo. 

ÁCIDO GORDO: Ácido carboxílico de cadeia longa, p. ex. CH3(CH2)16COOH (ácido esteárico).

ADSTRINGENTE: Característica das bases, produto que retrai ou contrai os tecidos. Pode-se sentir esse gosto ao comer banana verde.

AEROSSOL: É um líquido ou sólido disperso num gás. Exemplos: neblina, nebulizador na terapia por umidificação e os frascos tipo "spray".

AFINIDADE ELETRÔNICA: É a quantidade de energia liberada quando um átomo isolado no seu estado fundamental (fase gasosa) recebe 1 elétron. É o mesmo que eletroafinidade. Aumenta nas famílias de baixo para cima e nos períodos da esquerda para a direita.

AGENTE DESIDRATANTE: Remove a água de uma outra substância através de uma reação química chamada desidratação. (Ex.: Ácido sulfúrico concentrado).

ÁGUA: Substância química formada por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio. É encontrada no estado líquido a temperatura ambiente. Sua fórmula molecular é H2O. Na natureza, pode ser encontrada nos estados físicos sólido, líquido e gasoso.

ÁGUA DESTILADA: É a água obtida através da destilação.

ÁGUA MINERAL: É a água que contém sais minerais dissolvidos. São benéficos para o ser humano. Pode ser classificada de acordo com o mineral que a compõem.

ÁGUA POTÁVEL: É a água apropriada para beber. Deve ser incolor e límpida; inodora (sem cheiro) e insípida (sem gosto); livre de impurezas (micróbios e substâncias tóxicas). Pode conter alguns sais dissolvidos e gases em pequenas quantidades.

ÁGUA TERMAL: É a água que contém sais minerais e que sai do solo com a temperatura alta (gêiser).

ÁGUA BRANDA: Água predominantemente livre de íons cálcio (Ca2+) e íons magnésio (Mg2+).

ÁGUA DE HIDRATAÇÃO: Água que é retida nos cristais de um composto.

ÁGUA DURA: Água que contém os íons cálcio (Ca2+) e os íons magnésio (Mg2+).

ÁLCALI: Uma base solúvel em água, quando dissolvida produz íons OH-. (Ex.: Hidróxido de sódio - NaOH).

ALCALINOS: Família do grupo 1A onde estão os elementos lítio, sódio, potássio, rubídio, césio e frâncio. Possuem um elétron na sua última camada. Tem propriedades básicas, por isso alcalinos.

ALCALINOS TERROSOS: Família do grupo 2A onde estão os elementos berílio, magnésio, cálcio, estrôncio, bário e rádio. Possuem dois elétrons na sua última camada. Seu nome provém do nome que recebiam seus óxidos: terras. Tem propriedades básicas e tem origem na crosta terrestre, por isso alcalinos terrosos.

ALCANOS: Compostos binários de carbono e hidrogênio de fórmula geral CnH2n+2, também denominados hidrocarbonetos saturados, por apresentar somente ligações simples entre seus átomos.

ALCENOS: Também denominados alquenos. Hidrocarbonetos insaturados por apresentar uma ligação dupla na molécula. Tem fórmula geral CnH2n.

ALCINOS: Também denominados alquinos. Hidrocarbonetos insaturados por apresentar uma ligação tripla na molécula. Tem fórmula geral CnH2n-2.

ALCADIENOS: Hidrocarbonetos insaturados que apresentam duas ligações duplas na sua molécula. Tem fórmula geral CnH2n-2.

ÁLCOOL: Composto orgânico que contém o grupo hidroxila ou oxidrila (OH-) ligado a um carbono saturado. 

ÁLCOOL 96 GRAUS GL: Também chamado de álcool etílico hidratado, é uma mistura de 96% de etanol (álcool etílico) e 4% de água. Sendo uma mistura azeotrópica.

ÁLCOOL ISOPROPÍLICO: Este álcool é usado em solução aquosa a 70% como desinfetante para a pele e em produtos após barba. Ele age como adstringente, fazendo com que o tecido se contraia, endurecendo a pele e limitando as secreções.

ÁLCOOL HIDRATADO: Mistura de 96% de álcool etílico mais 4% de água.

ALDEÍDO: Composto com um grupo funcional carbonila e de fórmula geral RCHO, onde o R é um átomo de hidrogênio, um grupo alquila ou um grupo arila.

ALQUIMIA: AL-Khemy, de origem árabe, que significa A Química. Foi a química desenvolvida na Idade Média e tinha como finalidade transformar metais como mercúrio e chumbo em ouro ou prata, preparar o elixir da longa vida e conseguir transformar o lado espiritual do alquimista de homem caído em criatura perfeita. A alquimia tinha um caráter místico combinando química, física, astrologia, filosofia, arte, metalurgia, medicina, misticismo e religião.

ALQUIMISTA: Aquele que pratica a alquimia. Os alquimistas destilavam ervas, tentavam obter o elixir da longa vida, transformar metais em ouro. Descobriram muitos produtos químicos e inventaram muitos aparelhos, que são utilizados em laboratórios químicos até hoje. Muitos alquimistas, durante a Idade Média, foram acusados de ter pacto com o demônio e por este motivo foram presos, excomungados e queimados vivos na fogueira pela Inquisição da Igreja Católica.

ALOTROPIA: Propriedade que possuem alguns elementos químicos de se apresentarem com formas e propriedades físicas diferentes, tais como densidade, estrutura, organização espacial, condutividade elétrica (Ex.: o grafite e o diamante são formas alotrópicas do carbono).

ALUMÍNIO (Al): Metal prateado, brilhante que está no grupo 13 da tabela periódica. É macio e dúctil. Seu número atômico é 13 e seu número de massa é 27. À temperatura ambiente é um sólido e é o terceiro metal mais abundante na crosta terrestre. É utilizado na produção de muitos componentes de avião e foguete. Há uma enorme aplicação para o alumínio, como utensílios de cozinha, embalagens, na construção civil.

AMIDAS: Grupo funcional orgânico dentro dos compostos nitrogenados que se forma pela combinação de uma amina com um ácido carboxílico. O nitrogênio, da amina, perde um átomo de hidrogênio e o ácido perde o grupo hidroxila, originando água.

AMINAS: São compostos orgânicos derivados da substituição de um ou mais átomos de hidrogênio na amônia (NH3) por grupos orgânicos alquilas ou arilas.

ANÁLISE ELEMENTAR: É uma técnica para determinação das porcentagens de carbono, hidrogênio e nitrogênio em uma amostra. Seu funcionamento é baseado no método de Pregl-Dumas, em que as amostras são sujeitas à combustão em uma atmosfera de oxigênio puro, e os gases resultantes dessa combustão são quantificados em um detector TCD (detector de condutividade térmica). Suas principais aplicações envolvem o estudo de amostras líquidas e sólidas, resultantes de sínteses orgânicas e formação de complexos, síntese de polímeros, amostras geológicas, ambientais e derivados de petróleo, entre outras.

ANÁLISE QUALITATIVA: Análise de uma amostra para determinar a identidade dos elementos, íons ou compostos que estão presentes.

ANÁLISE QUANTITATIVA: Análise de uma amostra para determinar as proporções em que se encontram presentes os diversos componentes (doseamento).

ANFÓTERO: Substância que pode reagir como ácido ou como base.

ÂNODO: É o eletrodo no qual há oxidação (perda de elétrons). É o pólo negativo da pilha. Os elétrons saem do ânodo (pólo negativo) e entram no cátodo (pólo positivo) da pilha. Ânodo numa eletrólise é o eletrodo positivo, isto é, ligado ao pólo positivo do gerador. Nele sempre ocorre uma reação de oxidação.

ÂNGULO DE LIGAÇÃO: Ângulo formado por duas ligações ao mesmo átomo.

ANGSTRÖM: Unidade de medida de comprimento, onde 1 angstrom equivale a 10-10 metros. Corresponde a uma distância 1 bilhão de vezes menor que 1 metro.

ANGULAR: É a geometria molecular para moléculas tri-atômicas com sobra de elétrons. Formam um ângulo de 109°28´ para moléculas polares.

ANIDRO: Descreve uma substância que perdeu sua água de cristalização.

ÂNION: Íon com carga elétrica negativa.

ANTIMÔNIO: Elemento químico metálico com número atômico 51 e número de massa 121,7. A temperatura ambiente está no estado sólido. Possui quatro formas alótropas e a sua forma mais instável é um metal de cor branca azulada. É usado em ligas metálicas para dar resistência contra o fogo. Era considerado um semi-metal porque é parecido com os metais no aspecto físico e nas propriedades, porém quimicamente não se comporta como eles. Apesar de ser um elemento pouco abundante, pode ser encontrado em vários minerais.

ANTIUMECTANTE: É a substância capaz de reduzir a absorção de umidade pelos alimentos.

APOLAR: Que não tem polaridade. Moléculas apolares como o gás carbônico, gás oxigênio. A diferença de eletronegatividade tem que ser igual a zero. Geralmente, acontece em moléculas de átomos iguais.

AR ATMOSFÉRICO: Mistura de 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio, 1% de argônio e mais outros gases, como o gás carbônico.

ARGÔNIO (Ar): Elemento químico do grupo dos gases nobres com número atômico 18 e número de massa 39,95. É gás à temperatura ambiente, incolor e inerte e inodoro. Solúvel em água. É usado em lâmpadas comuns. É obtido da destilação fracionada do ar líquido.

ARSÊNIO (As): Elemento químico não metálico com número atômico 33 e número de massa 74,92. Era considerado um semi-metal. Apresenta três alótropos: cinza ou metálico, amarelo e negro. Utilizado como conservante de couro e madeira. É considerado tóxico e venenoso. É o 20° elemento mais abundante na crosta terrestre. Pode ser encontrado na forma de sulfetos combinados com vários metais.

AROMATIZANTE: Tem como função realçar ou fornecer aroma e sabor aos alimentos.

ASTATO (At): Elemento químico não metálico da família dos halogênios com número atômico 85 e número de massa aproximadamente 210. Está no estado sólido à temperatura ambiente. Elemento radioativo de vida curta. Pouco se assemelha com os demais halogênios. É o elemento mais raro do mundo. Ainda não há uma aplicação para o astato. Pode ser encontrado em minérios de urânio e tório.

ÁTOMO: Menor porção de matéria. É uma partícula indivisível, ou seja, não pode ser dividida. É formada por um núcleo, onde estão os prótons e nêutrons e uma eletrosfera, onde estão os elétrons.

ATRAÇÃO ELETROSTÁTICA: Atração entre cargas opostas positivas e negativas. Formam as ligações iônicas.

B

BALANCEAMENTO: É o ato ou efeito de balancear uma reação química. Ferramenta utilizada para equilibrar uma reação química. É quando o número de átomos dos reagentes deve ser igual ao número de átomos dos produtos. O balanceamento pode ser feito pelo método das tentativas ou pelo método Redox.

BASE: É toda substância que em água produz o ânion OH- (hidroxila) segundo a teoria de Arrhenius. Para Bronsted-Lowry é toda espécie receptora de um próton. Para Lewis, é toda espécie que doa um par de elétrons. Sinônimos: alcalina, cáustica.

BÁRIO (Ba): Metal alcalino terroso com número atômico 56 e número de massa 137. Seu nome vem do grego barys, que significa pesado. É tóxico, sólido à temperatura ambiente, macio, de cor branco prateado e muito reativo. É encontrado na mineral barita. Utilizado em tubos de vácuo, fogos de artifício e lâmpadas fluorescentes. Os sais de bário são usados para realizar radiografias no aparelho digestório.

BERÍLIO (Be): Metal alcalino terroso com número atômico 4 e número de massa 9. Possui cor cinza, é tóxico, leve, quebradiço e é sólido à temperatura ambiente. Pode ser encontrado em pelo menos trinta minerais diferentes. O berílio e seus sais são cancerígenos.

BICARBONATO DE SÓDIO (NaHCO3): Hidrogenocarbonato de sódio é um pó branco, quando aquecido perde gás carbônico. Usado em bebidas e sais efervescentes, como o fermento químico. Usado também em tratamento de seda e em extintores de incêndio, antiácido, em cerâmicas e na preservação de manteiga e de madeiras.

BISMUTO (Bi): Elemento químico metálico com número atômico 83 e número de massa 209,0. À temperatura ambiente encontra-se no estado sólido. É pesado, frágil, cristalino, trivalente e é o mais diamagnético dos metais. Usado em cosméticos, em ligas metálicas, em cerâmicas e na preparação da borracha. Tem baixa condutividade térmica. Não é um metal muito abundante na natureza e pode ser encontrado nos minerais bismutinita e bismita.

BORO (B): O boro é um não-metal do grupo 13 da tabela periódica e com número atômico 5 e número de massa 10,81. É sólido à temperatura ambiente e pode ser encontrado no mineral bórax. Utilizado em fibras de vidro.

BROMO (Br): Elemento químico não-metálico da família dos halogênios com número atômico 35 e número de massa 79,90. Seu nome em grego brômos quer dizer “fedor”. Único não-metal líquido à temperatura ambiente. É volátil, de cor vermelha e denso. Quando líquido é perigoso ao entrar em contato com a pele. Muito reativo e não é solúvel em água. Usado como aditivo de gasolina, em fotografias, desinfetantes, corantes e inseticidas. Pode ser encontrado na água do mar. Reage com compostos orgânicos. Pode ser perigoso para a saúde.

BRONZE: Liga metálica entre cobre e estanho.

C

CALCOGÊNIOS: Família do grupo 16 onde estão os elementos oxigênio, enxofre, selênio, telúrio e polônio. São elementos representativos. Tem 6 elétrons na última camada.

CALEFAÇÃO: Tipo de vaporização, que é a passagem do estado líquido para vapor, onde a transformação ocorre muito rápida.

CALOR: Estado, qualidade ou condição do que é quente ou está aquecido; temperatura (relativamente) alta. Entende-se também pela energia que é transferida de um sistema para outro por causa da diferença de temperatura que há entre eles. Simbolizado pela letra Q.

CALOR ESPECÍFICO: É a quantidade de calor necessária para que cada grama de uma substância sofra uma variação de temperatura correspondente a 1°C. Essa grandeza é uma característica de cada tipo de substância e indica o comportamento do material quando exposto a uma fonte de calor.

CAMADA DE ENERGIA: Conjunto de orbitais de um átomo onde encontram-se os elétrons. A primeira camada está mais próxima ao núcleo do átomo e cabem dois elétrons. É a camada K. os subníveis das camadas eletrônicas são s, p, d, f. Respectivamente cabem em cada subnível 2, 6, 10 e 14 elétrons. Até onde se conhece os elementos químicos, as camadas são K, L, M, N, O, P, Q. as camadas eletrônicas também são chamadas de níveis de energia.

CAMADA DE VALÊNCIA: A camada mais energética de um átomo. É a última camada eletrônica do átomo.

CARBONATO DE CÁLCIO (CaCO3): Na natureza, é encontrado na forma de mármore, calcário, calcita e aragonita. Forma as estalactites e as estalagmites das cavernas. Usado na produção de cimento e de cal virgem (CaO). Reduz a acidez do solo. É um sólido branco e pouco solúvel em água. As rochas contendo este sal dissolvem-se lentamente sob ação de chuvas ácidas (que contém gás carbônico dissolvido) provocando dureza temporária.

CARBONATO DE SÓDIO (Na2CO3): Também chamado de soda ou barrilha. Usado para a fabricação de vidro, sabão, corantes, no tratamento de água de piscina, em fotografias. É um pó branco que endurece e se agrega quando exposto ao ar devido à formação de hidratos. Pode ser produzido por cristalização adequada de seus depósitos naturais (trona, natro, ranksita, pirsonita e gailussita).

CARBONO (C): Elemento químico não-metálico que possui número atômico 6 e número de massa 12, está no grupo da família do carbono ou grupo 14. Seu nome vem da palavra em latim carbo, que significa carvão. Na natureza pode ser encontrado em várias formas. Seus alótropos são o grafite e o diamante. O diamante é a substância mais dura que se conhece. É o elemento da química orgânica, está presente em todos os seres vivos. Hoje são conhecidos mais de 10 milhões de compostos do carbono.

CATAÇÃO: Método de separação de mistura que consiste basicamente em recolher com as mãos ou uma pinça um dos componentes da mistura.

CÁLCIO (Ca): Metal alcalino terroso que possui número atômico 20 e número de massa 40. É maleável, dúctil e mole. Muito reativo em contato com água. Tem cor branco prateado e pode ficar amarelo quando está em presença de água. Está presenta na cal, usada como gesso desde a Antiguidade. É o quinto elemento mais abundante na crosta terrestre e é encontrado em rochas e minerais como mármore, granito, calcário e calcita. Usado na fabricação de cimento e cal viva. No organismo é importante para a formação dos ossos. O cálcio é um elemento essencial para os organismos vivos, sendo necessário para o seu crescimento e desenvolvimento.

CÁTION: Íon de carga positiva que doa elétrons.

CARBOIDRATO: Composto orgânico, que contém somente os elementos C, H e O. Por exemplo, o açúcar.

CAFEÍNA: É um composto químico de fórmula C₈H₁₀N₄O₂ — classificado como alcaloide do grupo das xantinas e designado quimicamente como 1,3,7-trimetilxantina. Encontrada nos grãos de café e folhas de chá, é o estimulante do sistema nervoso central mais extensamente usado sem prescrição médica.

CALCÁRIO: É uma rocha sedimentar que é composta largamente por minerais de carbonato, especialmente carbonato de cálcio e magnésio.

CALCINAÇÃO: Processo de aquecimento de corpos sólidos para provocar sua decomposição, mas sem oxidação pelo ar atmosférico. O calcário (carbonato de cálcio) ao ser calcinado transforma-se em cal viva (óxido de cálcio) e gás carbônico (dióxido de carbono).

CATALISADOR: Uma substância que aumenta a velocidade de uma reação química, mas que aparece inalterada ao final da reação.

CÁTODO: Em eletroquímica corresponde ao eletrodo que sofre redução.

CÉLULA ELETROQUÍMICA: Sistema que consiste em uma reator (béquer), presença de eletrólito, dois eletrodos (cátodo e ânodo) e um circuito elétrico.

CÉLULA UNITÁRIA: É a menor parte do cristal que contém as suas características, e que, repetido tridimensionalmente forma um mineral.

CENTRÍFUGA: Aparelho utilizado para realizar o processo de centrifugação, que se baseia na sedimentação das substâncias, usado para separação de misturas.

CENTRIFUGAÇÃO: Método de separação de mistura que se baseia no processo de aceleração da sedimentação. Utiliza-se um aparelho chamado centrífuga ou centrifugador que pode ser elétrico ou manual.

CERA: Substância sólida ou semi-sólida. Existem dois tipos principais. As ceras minerais são misturas de hidrocarbonetos com pesos moleculares elevados. A cera de parafina, obtida do petróleo, é um exemplo. As ceras segregadas por plantas ou animais são principalmente ésteres de ácidos gordos e geralmente têm funções de proteção.

CETONA: Compostos orgânicos que contêm o grupo funcional carbonila — CO — e fórmula geral R C O R', sendo R e R' grupos alquila ou arila.

CÉSIO (Cs): Metal alcalino que possui número atômico 55 e número de massa 132,9. Seu nome em latim caesium significa céu azul. É dúctil, macio, muito reativo e à temperatura ambiente é líquido. Tem cor de branco prateado, é o metal mais pesado dos alcalinos e é fonte dos raios gama. É altamente reativo em água fria e seus radioisótopos são muito perigosos para os seres humanos. O sal de césio, o cloreto de césio causou um enorme acidente radioativo.

CFC: Abreviatura para clorofluorcarboneto. Destroem a camada de ozônio.

CHAMA: Uma mistura quente e luminosa de gases que estão queimando. A reação química numa chama são principalmente reações em cadeia de radicais livres e a luz provém da fluorescência de moléculas excitadas ou de íons ou ainda da incandescência de pequenas partículas (carbono).

CHUMBO (Pb): Metal da família do carbono ou grupo 14 da tabela periódica com número atômico 82 e número de massa 207,2. Seu nome vem do latim plumbum. Metal usado desde a Antiguidade. É tóxico, pesado, macio, maleável. Tem cor branco azulada e baixa condutividade elétrica. É resistente a corrosão. A principal fonte de chumbo é o minério galena composto de sulfeto de chumbo (II).

CHUMBO TETRAETILA: Um líquido incolor, Pb(C2H5)4, insolúvel em água, solúvel em benzeno, etanol, éter e petróleo. É usado em combustíveis para motores de combustão interna para aumentar o número de octanas e reduzir o ruído do motor. O uso do chumbo tetraetila em gasolina resulta na emissão de compostos de chumbo perigosos para a atmosfera.

CIMENTO: É qualquer das substâncias usadas para ligar ou fixar materiais duros. O cimento Portland é uma mistura de silicatos de cálcio e aluminatos produzido pelo aquecimento de calcário com argila em um forno.

CLORO (Cl): Elemento químico não-metálico da família dos halogênios com número atômico 17 e número de massa 35,45. É um gás a temperatura ambiente, muito tóxico e com odor irritante. É extraído do sal de cozinha, o cloreto de sódio e também do mineral silvina (KCl). Quando reage com o hidrogênio da água, libera oxigênio que mata por oxidação bactérias existentes na água. É branqueador e desinfetante. Usado na fabricação de PVC, o plástico policloreto de vinila.

CLORETO DE SÓDIO (NaCl): É obtido da água do mar, ocorre no mineral halita (sal rochoso), em salmouras naturais e utilizado na alimentação como sal de cozinha e na conservação de carnes. Na indústria, é usado para a produção de soda cáustica e gás cloro. É um sólido cristalino incolor e solúvel em água e em etanol. Ponto de fusão 801°C e ponto de ebulição 1413°C. Importante nos sistemas biológicos na manutenção de balanços eletrolíticos.

CNTP: Abreviatura de Condições Normais de Temperatura e Pressão (0 ºC e 1 atm).

COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE: É a quantidade necessária de uma substância para saturar uma quantidade padrão de solvente, em determinada temperatura e pressão. É definida como a concentração de uma substância em solução, que está em equilíbrio com o soluto puro a uma dada temperatura.

COEFICIENTE ESTEQUIOMÉTRICO: São os números que precedem as fórmulas químicas das substâncias representadas numa equação química. Pode ser determinado a partir do balanceamento.

COLÓIDE: São misturas homogêneas que possuem moléculas ou íons gigantes. O diâmetro médio de suas partículas é de 1 a 1.000nm. Este tipo de mistura dispersa facilmente a luz, por isso são opacas, não são translúcidas. Podem ser sólidas, líquidas ou gasosas. O termo colóide vem do grego e significa “cola” e foi proposto por Thomas Grahm, em 1860 para as denominar as substâncias como o amido, cola, gelatina e albumina, que se difundiam na água lentamente em comparação com as soluções verdadeiras (água e açúcar, por exemplo). Não são estáveis e quase sempre precipitam.

COMBURENTE: Nome dado à substância que é REDUZIDA em uma reação de combustão. No senso comum, é o oxigênio do ar atmosférico. O oxigênio é o principal comburente, porém temos casos isolados de combustões em que o comburente é o CLORO, o BROMO ou o ENXOFRE.

COMBUSTÍVEL: Nome dado à substância que é OXIDADA em uma reação de combustão. No senso comum, é a substância que sofre queima quando em presença de oxigênio do ar. Exemplos: madeira, álcool, papel, derivados do petróleo, etc.

COMBUSTÃO: É uma reação química de oxidação-redução onde necessariamente temos a presença de um combustível e de um comburente, geralmente o oxigênio. Esta reação sempre libera energia calorífica e luminosa no espectro visível ou não.

COMBUSTÃO TOTAL: Também chamada combustão completa, ocorre quando temos oxigênio em quantidade suficiente para reagir todo o combustível e liberar o máximo de energia possível.

COMBUSTÃO PARCIAL: Também chamada combustão incompleta, ocorre quando a quantidade de oxigênio necessária não está sendo utilizada, ou seja, uma quantidade insuficiente e os produtos formados serão outros.

COMPOSTO BINÁRIO: Composto formado somente por dois elementos.

COMPOSTO COVALENTE: Sólido cristalino formado somente por ligações covalentes. São substâncias duras de altos pontos de fusão.

COMPOSTO IÔNICO: Qualquer composto neutro formado por cátions e ânions que formam uma estrutura cristalina, chamada de retículo cristalino.

COMPOSTO METÁLICO: Qualquer composto formado por um tipo de metal ou por vários tipos de metais, unidos por ligações metálicas e formando um sólido cristalino.

COMPOSTO MOLECULAR: São compostos que só apresentam ligações covalentes entre seus átomos.

COMPOSTO NÃO POLAR: Um composto que tem moléculas covalentes sem momento dipolar permanente. O metano e o benzeno são exemplos de compostos não polares.

COMPOSTO ORGÂNICO: Compostos que contém carbono, geralmente combinado com hidrogênio, oxigênio, nitrogênio e enxofre.

COMPOSTO POLAR: Um composto que é iônico (NaCl) ou que tem moléculas com um elevado momento dipolar (H2O).

CONCENTRAÇÃO: É o termo que utilizamos para fazer a relação entre a quantidade de soluto e a quantidade de solvente em uma solução.

CONCENTRAÇÃO COMUM: É a relação entre a massa do soluto em gramas e o volume da solução em litros.

CONDENSAÇÃO: Mudança do estado gasoso de vapor para líquido. Ocorre por resfriamento.

CONSERVANTE: Significa qualquer substância capaz de retardar ou impedir o processo de fermentação, acidificação ou outra decomposição do alimento ou de mascarar qualquer evidência desses processos ou de neutralizar os ácidos gerados por quaisquer desses processos.

CORANTE: Substâncias usadas para dar cor a tecidos, couro, alimentos, papel, etc. Os compostos usados para tingir são geralmente compostos orgânicos contendo ligações duplas conjugadas.

CORPO DE FUNDO: É o mesmo precipitado (ppt).

CORROSÃO: Deterioração dos metais por um processo eletroquímico.

CORROSIVO: Que corrói, danifica.

CRAQUEAMENTO: É o processo de produzir compostos orgânicos de cadeias menores partindo-se de cadeias maiores, pelo calor.

CRISTAL: Um sólido com formas poliédricas regulares. Todos os cristais de uma mesma substância desenvolvem-se de modo a terem os mesmos ângulos entre suas faces. No entanto, poderão não ter a mesma aparência exterior porque faces diferentes podem desenvolver-se a velocidades diferentes, dependendo das condições. Os átomos, íons e moléculas que formam o cristal tem uma disposição regular e esta é a estrutura do cristal.

CRIPTÔNIO (Kr): Elemento químico do grupo dos gases nobres com número atômico 36 e número de massa 83,80. É gás à temperatura ambiente, incolor, inerte, inodoro e insípido. Usado em lâmpadas fluorescentes. Apesar de ser um gás raro, é encontrado no ar, em gases vulcânicos, águas termais e em vários minerais.

CURVA DE SOLUBILIDADE: São gráficos que apresentam variação dos coeficientes de solubilidade das substâncias em função da temperatura.

D

DETERGENTE: Substâncias surfactantes com propriedades anfifílicas, ou seja, apresentam em sua estrutura molecular uma parte polar e outra apolar. Apresenta propriedades de limpeza. Deterge, limpa; detersivo.

DIÁLISE: Se refere à difusão de partículas do soluto através de uma membrana semipermeável. A diálise separa pequenas moléculas e íons das grandes moléculas que formam os coloides.

DIATÔMICO: Formado por 2 átomos.

DIFUSÃO: O processo segundo o qual diferentes substâncias (sólidos, líquidos ou gases) se misturam como resultado do movimento aleatório dos seus componentes: átomos, moléculas ou íons.

DILUIÇÃO: Procedimento para preparar uma solução menos concentrada a partir de outra mais concentrada pela adição de solvente.

DILUÍDO: Descrição de uma solução que tem uma concentração relativamente baixa de soluto.

DISPERSÃO: Sistema constituído por duas ou mais espécies químicas uniformemente distribuídas entre si.

E

EBULIÇÃO: Passagem violenta de um liquido a vapor (vaporização rápida) devido ao superaquecimento. As bolhas se formam a uma pressão superior à pressão atmosférica.

EDULCORANTES: É uma substância orgânica artificial, não glicídica, capaz de conferir sabor doce aos alimentos.

ELETRÓLISE: Processo que utiliza energia elétrica para realizar uma reação química não espontânea.

ELETRÓLITO: Substância que ao ser dissolvida na água, forma uma solução que pode conduzir eletricidade.

ELÉTRON: Partícula subatômica que tem uma massa muito pequena e possui uma carga elétrica unitária negativa.

ELEMENTO: Uma substância que não pode ser decomposta em substâncias mais simples. Num elemento, todos os átomos têm o mesmo número de prótons e de elétrons, apesar do número de nêutrons poder variar.

ELEMENTOS REPRESENTATIVOS: Elementos pertencentes aos grupos 1, 2 e 13 a 17 com sua camada mais externa incompleta.

ELEMENTOS TRANSURÂNICOS: Elementos com números atômicos maiores que 92.

EMULSÃO: Consiste de um líquido disperso em outro líquido ou num sólido. Exemplo: leite homogeneizado, maionese, etc.

ENANTIÔMEROS: Isômeros ópticos, pois apresentam todas as propriedades físicas e químicas iguais, mas desviam o plano da luz polarizada para lados diferentes.

ENFERRUJAMENTO: Corrosão do ferro (ou aço) formando-se óxidos de ferro III hidratado. O enferrujamento ocorre na presença tanto de água como de oxigênio.

EQUAÇÃO QUÍMICA: Uma forma de representar uma reação química usando os símbolos das partículas participantes (átomos, moléculas, íons, etc...)

ESPESSANTE: Substância capaz de aumentar, nos alimentos, a viscosidade de soluções, emulsões e suspensões.

ESPUMA: É um gás disperso num líquido ou sólido. Exemplo: creme "chantilly".

ESTABILIZANTE: Substância que favorece e mantém a características físicas das emulsões e suspensões.

ESTEQUIOMETRIA: As proporções relativas nas quais os elementos formam compostos ou segundo as quais as substâncias reagem.

ÉSTERES: Compostos orgânicos que tem em sua fórmula geral a função R'COOR, onde R' pode ser hidrogênio, um grupo alquila ou arila e R é um grupo alquila ou arila, mas não hidrogênio.

ETANOL: Pertence à classe dos álcoois e é solúvel em água em qualquer proporção, pois tem uma parte polar que estabelece pontes de hidrogênio com a água.

ÉTER: Composto orgânico que contém o grupo funcional R-O-R', sendo R e R' grupos alquila ou arila.

ÉTER DE PETRÓLEO: Uma mistura de hidrocarbonetos incolor, volátil e inflamável, principalmente de pentano e de hexano. Ferve entre 30 a 70 graus Celsius e é usado como solvente.

EVAPORAÇÃO: Escape das moléculas desde a superfície de um líquido pelo aumento de sua energia cinética, também se chama vaporização lenta.

F

FAMÍLIA: Conjunto de elementos de uma coluna da tabela periódica.

FERMENTAÇÃO: É um processo químico, com a ausência de gás oxigênio (O2), no qual fungos e bactérias realizam a transformação de matéria orgânica em outros produtos e energia.

FERRO GUSA: A forma impura de ferro produzida num alto forno, que é fundida em blocos para serem convertidos mais tarde em ferro fundido, aço, etc. A composição depende dos minérios usados, do processo de fusão e do fim que será dado aos lingotes.

FLUORESCÊNCIA: É a capacidade de uma substância de emitir luz quando exposta a radiações do tipo ultravioleta (UV), raios catódicos ou raios X. As radiações absorvidas (invisíveis ao olho humano) transformam-se em luz visível, ou seja, com um comprimento de onda maior que o da radiação incidente.

FORMALDEÍDO (Metanal): É um gás incolor, frequentemente usado a 37% (m/v) em solução aquosa, chamada formalina. Nesta forma, ele é germicida e usado como desinfetante e é também um preservativo que endurece tecidos.

FOSFORESCÊNCIA: É um caso particular de um fenômeno geral denominado luminescência, sendo um tipo de fotoluminescência relacionado com a capacidade que uma espécie química tem de emitir luz, mesmo no escuro, devido a sua estrutura eletrônica especial que favorecem seus elétrons absorverem radiação durante exposição prévia e irradiar luz visível ou radiação de maiores comprimentos de onda mesmo depois de cessada a exposição.

FULERENO: É um alótropo do carbono também chamado de Buckminster fullerene ou Buckyball (C 60) representado por uma esfera de 60 átomos de carbono distribuídos em 12 pentágonos e 20 hexágonos, semelhante a uma bola de futebol.

FUSÃO NUCLEAR: Combinação de núcleos pequenos para formar núcleos maiores.

G

GÁS IDEAL: Este gás apresenta moléculas com volume desprezível e forças entre elas também desprezíveis e as colisões entre as moléculas seriam perfeitamente elásticas.

GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO - GLP: Vários gases de petróleo, principalmente propano e butano, armazenados como líquidos sobre pressão. Pode ser usado como um combustível para motores e tem vantagem de provocar poucos depósitos na cabeça do cilindro.

GÁS NATURAL: É uma mistura de gases composta por hidrocarbonetos que permanecem em estado gasoso nas condições atmosféricas normais. É essencialmente composta pelos hidrocarbonetos metano (CH4), com teores acima de 70%, seguida de etano (C2H6) e, em menores proporções, o propano (C3H8), usualmente com teores abaixo de 2%.

GÁS REAL: Suas moléculas ocupam um volume finito, há pequenas forças entre as moléculas e em gases poliatômicos as colisões são até certo ponto inelásticas.

GASES NOBRES: Elementos não metálicos do grupo 18 (He, Ne, Ar, Xe, Kr e Rn). Com exceção do hélio todos apresentam oito elétrons no último nível, o mais externo.

GEL: É uma dispersão de sólido em líquido, sendo que a quantidade de sólido é bem maior e pode ser obtida por evaporação do líquido. Exemplo: gelatina.

GRISU: É uma mistura do CH4 (Metano – Gás Natural), que ocorre naturalmente nas minas de carvão, com o O2 (Oxigênio) do ar, formando em ambientes fechados uma mistura explosiva que detona facilmente na presença de chamas ou centelhas, e constitui um grande perigo na mineração de carvão.

H

HIGROSCÓPICO: É a propriedade que certos materiais possuem de absorver água do ambiente.

HIDROCARBONETO: Composto constituído somente por carbono e hidrogênio.

HIDROCARBONETO AROMÁTICO: Hidrocarboneto que contém um ou mais anéis benzênicos.

HIDROCARBONETO INSATURADO: Hidrocarbonetos que contém ligações duplas ou triplas entre átomos de carbono.

HIDROFÍLICO: Propriedade que a substância tem de ser atraída pela água.

HIDROFÓBICO: Propriedade que substâncias apresentam repulsão quando em contato com a água.

I

INDICADORES: Substâncias naturais ou sintéticas que possuem a capacidade de mudar de cor de acordo com o pH do meio.

ÍNDICE DE OCTANO: Medida da tendência da gasolina em causar detonação.

ÍON: Partícula carregada que se forma quando um átomo neutro ou um conjunto de átomos ganha ou perde um ou mais elétrons.

IONIZAÇÃO: É o processo de produção de íons em solução, em reação ou quando átomos ou moléculas recebem energia.

ISOELETRÔNICOS: São íons ou átomos que possuem o mesmo número de elétrons e portanto tem a mesma configuração eletrônica no estado padrão.

ISÔMEROS: Compostos químicos que têm a mesma fórmula molecular mas diferente estrutura molecular ou diferentes arranjos dos átomos no espaço.

ISÔMEROS GEOMÉTRICOS: Compostos com o mesmo tipo e número de átomos e iguais ligações químicas, mas diferentes distribuições espaciais de seus átomos.

ISÔMEROS ÓPTICOS: Compostos que apresentam assimetria molecular, ocorre em alcadienos, compostos cíclicos com isomeria geométrica trans e quando o composto apresentar carbono assimétrico.

ISÔMEROS PLANOS: Moléculas que tem a mesma fórmula molecular mas diferentes fórmulas estruturais.

L

LEI DA CONSERVAÇÃO DAS MASSAS: Num sistema fechado, a massa permanece constante qualquer que seja o fenômeno que se verifique no seu interior. Numa reação química, a massa total dos reagentes é igual à massa total dos produtos.

LEI DAS PROPORÇÕES DEFINIDAS: Uma determinada substância composta é formada por substâncias mais simples, unidas sempre na mesma proporção em massa.

LEI DE AVOGADRO: A pressão e temperatura constante o volume de um gás é diretamente proporcional ao número de moles de gás presente.

LEITE: É um líquido branco, opaco e de sabor doce, pouco mais denso que a água. É formado por gorduras (3,5%), proteínas (3,5%), açúcares (4,5%), sais minerais (0,7%) e água.

LIGA: Uma mistura de um metal com quantidades determinadas de outros metais ou ametais, preparada quando todos estão fundidos. O bronze é uma liga de cobre e estanho, enquanto o aço é uma liga de carbono e ferro.

LIGAÇÃO COVALENTE: Ligação onde os átomos compartilham elétrons.

LIGAÇÃO COVALENTE DATIVA: Também chamada de coordenada. Ligação onde um par de elétrons provêm unicamente de um dos átomos ligantes.

LIGAÇÃO IÔNICA: Força eletrostática que mantém os íons unidos em um composto iônico.

LIPÍDIOS: São moléculas orgânicas formadas a partir da associação entre ácidos graxos e álcool, tais como óleos e gorduras. Eles não são solúveis em água, mas se dissolvem em solventes orgânicos, como o éter, clorofórmio, benzeno e alcanos.

LIQUEFAÇÃO: A conversão de uma substância gasosa num líquido. Grandes quantidades de gases liquefeitos são usados hoje em dia comercialmente, especialmente gás liquefeito de petróleo (GLP) e gás natural liquefeito.

M

MACROMOLÉCULA: Qualquer molécula com uma Massa Molecular relativa maior do que 10000.

MASSA MOLECULAR: É a massa de uma molécula dessa substância relativa à unidade de massa atômica u (igual a 1/12 da massa do isótopo carbono-12, 12C). Formalmente deve ser chamada massa molecular relativa devido a esta relação.

MASSA ATÔMICA: Massa de um átomo em unidades de massa atômica.

MASSA CRÍTICA: Massa mínima de material requerida para ser fundida e gerar uma reação nuclear espontânea em cadeia.

MASSA MOLAR DE UM COMPOSTO: Massa, em gramas ou Quilogramas, de um mol do composto.

MATÉRIA: Qualquer coisa que ocupa espaço e possui massa.

MEMBRANA SEMI-PERMEÁVEL: Membranas que permitem passar moléculas de solventes em uma solução, mas não de soluto.

METAIS ALCALINOS: Grupo 1 na tabela representado pelos elementos lítio (Li), sódio (Na), potássio (K), rubídio (Rb), césio (Cs) e frâncio (Fr).

METAIS ALCALINOS TERROSOS: Grupo 2 na tabela representado pelos elementos: berílio (Be), magnésio (Mg), cálcio (Ca), estrôncio (Sr), bário (Ba) e rádio (Ra).

METAIS DE TRANSIÇÃO: São os metais do grupo 3 ao grupo 12 que possuem elementos formadores de materiais fortes e duros, que são bons condutores de calor e eletricidade e que têm pontos de ebulição e de fusão muito elevados. Compostos coloridos, paramagnéticos e bons catalisadores.

METALURGIA: É o Ramo da engenharia que se ocupa da produção de metais e de suas ligas, bem como de sua adequação ao uso.

METILAÇÃO: Uma reação química na qual um grupo metil (CH3-) é introduzido numa molécula. Um exemplo particular é a substituição de um átomo de hidrogênio por um grupo metil.

MÉTODO CIENTÍFICO: Enfoque sistemático de uma investigação.

MINÉRIO: Material de um depósito mineral em forma suficientemente concentrada para permitir a recuperação do metal desejado. Esse metal geralmente está ligados à átomos de oxigênio.

MISTURA: Combinação de duas ou mais substâncias que conservam sua identidade e podem ser separadas através de processos físicos.

MISTURA HETEROGÊNEA: É uma mistura em que os componentes permanecem fisicamente separados, ou seja, apresentam mais de uma fase.

MISTURA HOMOGÊNEA: Depois de uma agitação, a composição da mistura é a mesma em toda a solução, ou seja, apresenta apenas uma fase.

MISTURA RACÊMICA: Mistura equimolar de dois enantiômeros.

MINERAL: Uma substância que ocorre naturalmente, que tem uma composição química característica e em geral, uma estrutura cristalina.

MISCIBILIDADE: Se diz que dois líquidos que são completamente solúveis entre si, em todas as proporções, são miscíveis.

MOL: Quantidade de substância que contém tantas entidades elementares, átomos, moléculas ou outras partículas, quantos átomos existem em 12 gramas do isótopo do carbono-12.

MOLÉCULA:  Agregado de pelo menos dois átomos, com uma distribuição definida, que se mantém unidos através de ligação covalente.

MONÔMERO: Uma molécula ou composto que se junta a outros para formar um dímero, trímero ou polímero.

N

NÊUTRON: Partícula sem carga elétrica encontrada no núcleo de todos os átomos (exceto no átomo de 1H).

NUMERO DE OXIDAÇÃO (NOX): Carga real ou aparente de um átomo.

NÚCLEO: Porção central do átomo, carregada positivamente e constituída por prótons e nêutrons.

NÚMERO ATÔMICO: É o número de prótons existentes no núcleo de um átomo.

O

ÓLEO: Qualquer dos vários líquidos viscosos que são geralmente imiscíveis com água. As plantas naturais e os óleos animais ou são misturas voláteis de ésteres simples ou são glicerídeos de ácidos graxos. Os óleos minerais são misturas de hidrocarbonetos (Ex. petróleo).

OSMOSE: Movimento das moléculas de um solvente através de uma membrana semipermeável na direção da solução mais concentrada.

OSMOSE INVERSA (OSMOSE REVERSA): Método de dessalgação que usa alta pressão para forçar a água a passar de uma solução muito concentrada para uma mais diluída através de uma membrana semi-permeável.

ÓXIDO ANFÓTERO: Óxido que apresenta tanto propriedades ácidas como básicas.

ÓXIDO BÁSICO: São óxidos formados principalmente pela união do oxigênio com metais, adquirindo características básicas (alcalinas).

OXIÁCIDOS: Ácidos que contém hidrogênio, oxigênio e outro elemento central.

P

PARTES POR MILHÃO: São muito úteis em medidas ambientais, onde concentrações extremamente pequenas de poluentes podem ser significativas. Uma parte por milhão (1 ppm) significa, por exemplo, um miligrama (1 mg) de uma substância misturada em um quilograma (1 kg ) de outra substância.

PETRÓLEO: É um óleo que ocorre naturalmente constituído principalmente por hidrocarbonetos com alguns outros elementos, como enxofre, oxigênio e nitrogênio. Na sua forma não refinada o petróleo é conhecido como óleo cru.

pH: É o potencial hidrogeniônico de uma solução. Por definição é o colog da concentração hidrogeniônica do meio, que indica a acidez ou basicidade de uma solução aquosa.

PLASMA: Estado da matéria em que um sistema gasoso está constituído por íons positivos e elétrons.

POLIETILENO: É um polímero de adição produzido a partir do etileno e produz tubos macios, flexíveis e quimicamente resistentes usados para terapia endovenosa e em cateteres para uso prolongado.

POLÍMERO: Molécula grande que é formada pela união de moléculas menores – unidades chamadas monômeros – através de uma reação denominada polimerização.

PÓLVORA: Um explosivo constituído por uma mistura de nitrato de potássio, enxofre e carvão.

POTENCIAL PADRÃO DE OXIDAÇÃO: Voltagem medida quando ocorre uma oxidação em um eletrodo e todos os solutos estão com concentração igual a 1 molar e os gases estão a 1 atmosfera.

PRECIPITAÇÃO: 1. Todas as formas sólidas e líquidas de água que são depositadas pela atmosfera; inclui chuva, chuvisco, neve, graniza, orvalho e geada. 2. a formação de um precipitado.

PRECIPITADO: Uma suspensão de pequenas partículas sólidas produzida num líquido por reação química.

PROCESSO EXOTÉRMICO: Processo que libera calor para o meio externo.

PROCESSO ENDOTÉRMICO: Processo que absorve calor do meio externo.

PRODUTO: Substância que se forma como resultado de uma reação química.

PROPRIEDADES MACROSCÓPICAS: Propriedades que podemos medir de forma direta, sem a ajuda de instrumentos.

PROPRIEDADES MICROSCÓPICAS: Propriedades que não podem ser medidas diretamente sem a ajuda de um microscópio ou outro instrumento especial.

PROPRIEDADE QUÍMICA: Qualquer propriedade de uma substância que não pode ser estudada sem ocorrer a transformação de uma substância em outra.

PROTEÍNA: Macromolécula composta de uma ou mais cadeias polipeptídicas, cada uma possuindo uma sequência de aminoácidos e peso molecular característicos; protídeo [Representa uma grande porção da massa dos seres vivos e é necessária na dieta de animais e organismos que não realizam a fotossíntese.].

PROTEÍNA DESNATURADA: Quando aquecidas ou sujeitas a fortes ácidos ou bases, as proteínas perdem a sua estrutura terciária específica e podem formar coágulos insolúveis. Geralmente as suas propriedades biológicas são desativadas.

PROTEÍNA SIMPLES: Proteína que contém somente aminoácidos.

PRÓTON: Partícula subatômica que tem uma carga elétrica unitária positiva. A massa do próton é 1840 vezes maior que a massa do elétron.

PONTO DE EBULIÇÃO: Temperatura na qual a pressão de vapor de um líquido se iguala a pressão atmosférica externa.

PONTO DE FUSÃO: Temperatura em que existem em equilíbrio as fases sólida e líquida.

Q

QUILATE: Uma medida da fineza (pureza) do ouro (Au). O ouro puro é descrito como ouro de 24-quilates. O ouro de 14-quilates contém 14 partes em 24 de ouro, sendo o restante normalmente cobre (Cu).

QUÍMICA ORGÂNICA: Ramo da química que estuda os compostos do carbono.

QUIMIOLUMINESCÊNCIA: É um tipo de reação química, que ao se processar gera energia luminosa. Durante uma reação química, os reagentes se transformam em estados intermediários eletronicamente excitados, e ao passarem para um estado de menos excitado, liberam a energia absorvida na forma de luz.

QUIRAL: Compostos ou íons em que suas imagens opostas são sobreponíveis. 

R

RADIAÇÃO: Emissão e transmissão de energia através do espaço em forma de ondas.

RADIOATIVIDADE: Ruptura espontânea de um átomo por emissão de partículas e/ou radiação.

RADICAL: Qualquer fragmento de uma molécula que contenha um elétron desemparelhado.

RAIOS ALFA: Radiação que corresponde a núcleos de hélio ou íons de hélio com carga positiva +2.

RAIOS BETA: Nome dado a um feixe de elétrons.

RAIOS GAMA: Radiação eletromagnética de alta energia.

REAÇÃO DE NEUTRALIZAÇÃO: Reação entre um ácido e uma base.

REAÇÃO DE OXIDAÇÃO: Semi-reação que implica na doação de elétrons por uma substância ou elemento.

REAÇÃO DE REDUÇÃO: Semi-reação que implica recebimento de elétrons por uma substância ou elemento.

REAÇÃO DE SIMPLES TROCA: Um átomo ou íon de um composto é trocado por outro átomo de outro elemento.

REAÇÃO NUCLEAR EM CADEIA: Sequência de reações de fissão nuclear espontânea.

REAÇÃO REDOX: Reação onde ocorre transferência de elétrons ou troca dos números de oxidação das substâncias que tomam parte dela.

REAGENTE: Substância que é consumida em uma reação química.

S

SAL: Composto iônico constituído por um cátion diferente do íon hidrogênio e um ânion distinto da hidroxila ou do oxigênio.

SAPONIFICAÇÃO: Reação de ésteres com bases, com a formação de álcoois e sais de ácidos carboxílicos (sabão).

SEROTONINA: Molécula responsável pela transmissão de impulsos nervosos. Encontrada nos neurônios, sangue e parede dos intestinos. Regula o humor, impetuosidade, sono, libido, apetite, memória, função cardiovascular, contração muscular, agressividade.

SOL: Colóide no qual pequenas partículas sólidas estão dispersas numa fase líquida contínua.

SOLDA: Uma liga metálica usada para ligar superfícies de metal, quando aquecida e fundida.

SÓLIDO CRISTALINO: Sólido que possuI uma rígida organização de seus átomos, moléculas ou íons, ocupando posições bem específicas.

SÓLIDO AMORFO: Sólido sem forma, pois necessita de organização tridimensional periódica de seus átomos ou moléculas.

SOLUBILIDADE: Quantidade máxima de soluto que se pode dissolver em uma quantidade dada de solvente, a uma temperatura específica.

SOLUTO: Substância presente em menor quantidade na solução.

SOLUÇÃO: É uma mistura homogênea formada por um soluto e um solvente.

SOLVENTE: É a substância na qual a dissolução ocorre. O solvente mais conhecido e usado no mundo é a água.

SUBLIMAÇÃO: Processo em que as moléculas passam diretamente da fase sólida para a fase de vapor.

SUBSTÂNCIA: Forma da matéria que tem uma composição definida ou constante e propriedades que a diferenciam.

SUBSTÂNCIA IÔNICA: Espécie química pura que apresenta pelo menos uma ligação iônica, entre metal e não metal ou entre hidrogênio e metal.

SUBSTÂNCIA MOLECULAR: Espécie química, cujas ligações entre átomos são exclusivamente covalentes, mas entre suas moléculas podem ser pontes de hidrogênio ou forças de Van der Waals.

SUBSTÂNCIA COVALENTE: Espécie química, cujas ligações entre seus átomos são exclusivamente covalentes. Ex: diamante e sílica.

SUSPENSÃO: São misturas de partículas ainda maiores do que as partículas dos colóides. As suspensões são heterogêneas, sedimentam quando deixadas em repouso, e podem ser separadas pelo uso do papel de filtro. A água barrenta contém partículas de solo em suspensão.

T

TEMPERATURA CRÍTICA: Temperatura acima da qual não conseguimos liquefazer um gás com aumento da pressão.

TENSÃO SUPERFICIAL: Propriedade de um líquido que o faz comportar-se como se sua superfície estivesse revestida por uma pele elástica.

TRANSMUTAÇÃO NUCLAER: Troca que sofre um núcleo como resultado do bombardeamento com nêutrons ou outras partículas. Mudança de um elemento químico em outro.

TOXINA: Substância venenosa produzida por seres vivos.

U

UMECTANTE: Substância capaz de evitar a perda da umidade dos alimentos.

UNIDADE DE MASSA ATÔMICA: Massa exatamente igual a 1/12 da massa de um átomo de carbono 12.

URÂNIO (U): Um elemento metálico radioativo e branco que pertence aos actíneos. O urânio-235 sofre fissão nuclear com nêutrons e é usado como combustível em reatores nucleares e em armas nucleares.

USTULAÇÃO: Processo metalúrgico pelo qual se tratam minérios, especialmente sulfetos, os quais, sob a ação do calor e do oxigênio do ar fornecem o metal e gás sulfuroso.

V

VAPORIZAÇÃO: Escape de moléculas da superfície de um líquido.

VIDA MÉDIA (MEIA-VIDA): Tempo requerido para que a concentração de um reagente diminua a metade do seu valor inicial.

VIDRO: Produto opticamente transparente, obtido da fusão de materiais inorgânicos que foi resfriado a um estado rígido sem cristalizar.

VINHOTO: Cada litro de álcool obtido na destilação produz cerca de 12 litros de resíduos da substância não fermentada, os quais recebem o nome de VINHOTO.

VISCOSIDADE: Medida da resistência de um fluído ao escoamento.

VOLÁTIL: Propriedade das substâncias químicas que se reduzem a gases ou a vapores quando em temperaturas ambientes.

VOLUME MOLAR: Volume ocupado por um mol de substância.

VULCANIZAÇÃO: Processo que consiste em submeter a borracha a um aquecimento (140 graus Celsius) prolongado com enxofre (aproximadamente 7%) em presença de óxidos metálicos. Serve para eliminar inconvenientes da borracha, tais como ser dura e quebradiça no inverno, mole e pegajosa no verão, e macia, não oferecendo resistência à tração e ao desgaste.

X

XISTO: Designação de um grupo de rochas metamórficas com a propriedade de dividir-se em finas lâminas.