7 dicas para estudar química do melhor jeito


Química está presente em muuuuitas coisas ao nosso redor, no remédio de gripe, na fórmula do seu shampoo e até no ovo frito que você comeu no café da manhã. Mesmo assim, não quer dizer que aprender e estudar química seja tarefa fácil, pelo contrário, é uma das matérias que a gente mais ouve vocês falando que têm dificuldade.

São tantas fórmulas e conceitos, que pode ser frustrante quando não conseguimos decorar e aprendê-los de vez. Ao mesmo tempo que rola essa chateação, bate um desespero ao pensar no vestibular e Enem no fim do ano, afinal, a matéria sempre está presente, pertinho da física e da biologia.

Para te ajudar a estudar química, aprender de verdade e arrasar nas provas, separamos 7 dicas para upar seus estudos. Assim, na hora do Enem e outros vestibulares você estará confiante e pronto para gabaritar! Confira!

 

1.    MONTE UM PLANO DE ESTUDOS INDIVIDUALIZADO

 

Alguns podem nos chamar de neuróticos, mas nem ligo, amamos falar sobre organização mesmo! Por isso, a primeira dica é: comece se organizando sempre! Para isso, tente montar um plano de estudos que corresponda às suas facilidades, dificuldades e rotina, pontuando seus compromissos, obrigações e encontrando os melhores horários de treino entre as atividades. Para isso, você precisa primeiro do material de apoio para anotações sobre os dias, horários e tarefas, que pode ser:

  • Agendas físicas ou planners criativos;
  • Aplicativos de agendamento típicos, como Google Agenda e Calendar ou modernosos como Week Calendar e CloudCal;
  • Lousas e quadros de tarefa que ajudam na visualização;
  • E, claro, o plano de estudos personalizado da nossa plataforma que é bem detalhado e organizadinho.

A partir do método de organização que você optar por adotar, acrescente seus compromissos daquela semana e identifique os horários livres. Com eles em destaque, é só pontuar as matérias e horas de estudo que cada uma delas precisa.

É sempre bom lembrar que tarefas de maior dificuldade precisam de mais tempo para as leituras e exercícios, então divida seu plano de estudos de acordo com o nível de dedicação que você vai precisar ter. Não pode de jeito nenhum se prejudicar estudando apenas as matérias que você mais curte, afinal de contas todas caem no vestibular, não tem como fugir disso. Levanta e encara o problema de vez!

Além disso, reservar um tempinho de pausa e descanso é essencial para manter a cabeça funcionando. Tente não se sobrecarregar e comprometer a produtividade. O que seria de um vestibulando sem saúde mental, né?

 

mulher focada gritando

 

2. ENTENDA A LÓGICA DOS CONCEITOS

Estudar química envolve saber substâncias, fórmulas, conceitos, tabela periódica, gráficos, mudança de estado, ácidos, básicos e uma infinidade de informações. Comece entendendo o básico e a lógica usada, a partir disso, os tópicos relacionados serão mais fáceis de compreender e não exigirão tanto esforço.

Além disso, se você sabe o básico na hora de fazer cálculos e definir massa atômica, por exemplo, realizará os exercícios rapidamente e poderá seguir adiante!

 

3. MEMORIZE AS FÓRMULAS E ELEMENTOS BÁSICOS

Um monte de gente não é a favor da “decoreba” quando o assunto é estudos. Afinal, você precisa aprender e entender de fato o que está estudando para levar aquilo pro futuro, né? Masssss, quando a gente fala de química orgânica, tem coisa pra caramba que precisamos aprender pra completar o raciocínio das questões, como símbolo, representação, nome, número atômico e composição da molécula. Ou seja, querendo ou não, tem que rolar uma decoreba.

Saber os pontos que exigem memorização podem ajudá-lo tanto no treino quanto na hora da prova. Para isso, você pode tentar:

  • Repetição pela escrita de fórmulas e elementos, treinando seu cérebro para acompanhar a grafia conforme vai escrevendo;
  • Flashcards para treinos diários, consistindo em cartões com conceitos para consulta rápida, como fórmulas ou moléculas. Pode até encher a casa de post-it se for preciso. O importante é que você sempre lembre de dar uma conferida na anotação para memorizar.

Com essas possibilidades, além de treinar a memória, você dá um gás no raciocínio lógico, encontrando similaridades e diferenças que podem criar “gatilhos mentais” que te façam lembrar da resposta certa.

 

4. RELACIONE COM OS TÓPICOS DA AULA

Não adianta decorar, entender conceitos isolados e, na hora de fazer o exercício, não saber qual deles usar. Estudar química envolve tanto o aprendizado sobre o assunto x até seu uso nos exercícios, podendo, ou não, ser relacionado com assuntos vistos anteriormente.

Para impulsionar os estudos e ir além da teoria, tente:

  • Relacionar os estudos diários com o tema visto na sala de aula ou nas videoaulas;
  • Se jogar nos exercícios de conceitos diferentes disponíveis lá na plataforma;
  • Não deixar nenhuma dúvida atormentar sua cabeça por muito tempo. 
  • Acompanhar dicas dos professores sobre como identificar a fórmula ou assunto que deve ser usado;

 

5. ENTENDA OS USOS PRÁTICOS

É muito bom direcionar a química como teoria para a prática, criando proximidade e visualização. Como eu disse lá no começo desse blog, química está em tudo do nosso dia a dia. Para isso, aproveite suas aulas em laboratório ou extracurriculares que a escola oferecer.

Outras opções interessantes são:

  • Encontrar produtos com a composição química que você estudou, vendo com os próprios olhos sua densidade, cheiro e entendendo os usos práticos;
  • Testar experimentos conduzidos pelos professores;
  • Encontrar atividades mais práticas na internet ou como tarefa complementar (muita calma nessa hora! Há experimentos simples e outros muito complicados e perigosos, então não abuse e busque auxílio de quem sabe o que tá fazendo).

 

cachorro cientista quimica

 

Dica: há muitos produtos do nosso dia a dia que contêm as tão complexas moléculas vistas em química orgânica, é só dar uma lida no rótulo e identificar as substâncias. Outra possibilidade é pegar qualquer produto, ver a composição e tentar montar a fórmula de base, servindo de treino e “saindo” do formato padrão de exercícios.

 

6. INVISTA EM MATÉRIAS DE APOIO

Matemática, física e até biologia estão ali, coladinhas na química. A matemática ajuda nos cálculos, a física nas fórmulas e a biologia no entendimento orgânico e composição de substâncias.

Se você domina a lógica e técnica nas matérias de apoio, provavelmente terá mais facilidade na hora de estudar química, com familiaridade na aplicação de fórmulas e números, por exemplo. Não esqueça que matérias de áreas próximas são complementares e podem ajudar muito na realização e entendimento de exercícios.

 

7. PROCURE FERRAMENTAS E ALIADOS

Atualmente, o aprendizado vai além de livro, caderno e lápis. Se você se dá bem com tecnologia, busque alternativas como:

  • Sites de apoio ao estudante, seja com dicas em artigos ou videoaulas;
  • EBOOKS 
  • Aplicativos como Yenka para simular experimentos, Jmol para entender as ligações químicas ou Tabela Periódica Interativa, muito mais interessante do que a padronizada em papel;
  • Canais no YouTube que ajudam com dúvidas.

Se você for mais oldfashion e preferir exercícios no papel, busque desafios e tarefas mais complicadas que te incentivem a crescer! Caso não consiga, peça sempre ajuda ao professor sem ter vergonha. Estudar química pode ser uma tarefa interessante e com ótimos resultados se você conseguir se planejar e usar todo o material de apoio, então não desista só porque tem alguma dificuldade.

 

RESUMÃO:

  1. Organize-se. Para estudar qualquer conteúdo, principalmente química, é importante ter tudo que você já estudou e o que ainda precisa estudar organizado de forma clara. Organize seu plano de estudos de acordo com sua rotina. Assim vai ficar muito mais fácil estudar!
  2. Siga uma linha de raciocínio lógica. Não só de decoreba se vive. Quando você entende como as coisas funcionam desde sua base, a resolução dos exercícios na prática fica muito mais fácil;
  3. Decorar faz parte. Química tem muitos assuntos que precisam ser decorados, por isso, procure por métodos de memorização que mais funcionam com você, com um tempo exercitando sua memória, você vai criando “gatilhos mentais” que tornam esse processo natural.
  4. Relacione os seus métodos de estudo. Sempre tente conectar as coisas que você aprende na sala de aula, no cursinho online, offline etc e transforme os aprendizados na cabeça em um só.
  5. Aproveite que química é uma das matérias que mais está presente no nosso dia a dia, e veja na prática como ela funciona através dos produtos que você tem em no banheiro ou até experimentos químicos simples que são possíveis de realizar em casa;
  6. Tenha uma boa base. Biologia, matemática e física andam juntas da química, por isso, se dedique a elas também;
  7. Existem outras maneiras de aprender que não seja escola. Pesquise e explore os melhores pra você.

Comente!